06/12/2017

ARCOS DE VALDEVEZ

Casa Nobre: um Património para o Futuro

V Congresso Internacional  superou expectativas  

· “Arcos de Valdevez pode assumir a ideia de capital da Casa Nobre” - Armando Malheiro da Silva, Presidente da Comissão Científica  

· Edição de 2017 foi a edição com maior participação de sempre de comunicantes e inscritos

O Presidente da Câmara Municipal, João Esteves realçou a importância da História e da recuperação do património edificado do concelho como elementos relevantes na estratégia de desenvolvimento ao nível da reabilitação de património


María Joâo Brito / Arcos de Valdevez

  Nos passados dias 30 de Novembro, 1 e 2 de Dezembro, decorreu na Casa das Artes concelhia a 5ª edição do Congresso Internacional subordinado à temática Casa Nobre: um Património para o Futuro, dando desta forma seguimento a um projeto consolidado de estudo das temáticas: Memória Histórica: História da Família, Genealogia, Documentação Familiar e Heráldica; Arquivos e documentação familiares; Património Construído: estudos, defesa e valorização e Turismo e Desenvolvimento Regional.

Na sessão de abertura deste fórum o Presidente da Câmara Municipal, João Esteves realçou a importância da História e da recuperação do património edificado do concelho como elementos relevantes na estratégia de desenvolvimento ao nível da reabilitação de património, turismo e economia, bem como da afirmação da identidade local e orgulho em Arcos de Valdevez. O autarca lembrou os projetos de reabilitação de património construído e imaterial tais como o Paço de Giela, a Igreja Matriz; a recuperação da Igreja do Espírito Santo para Centro interpretativo do Barroco, o projeto das oficinas de criatividade Padre Himalaya, o qual prevê a criação de um espaço dedicado à figura e legado de um dos maiores cientistas e visionários portugueses da viragem do século XIX, Padre Manuel Himalaya; o projeto de valorização da Arte rupestre do Gião, o Portal da Memória arcuense, o qual se destina a trabalhar temáticas relativas à memória e ao património do concelho; as publicações municipais; e ainda do Projeto das Casas Armoriadas, projeto que já conta com mais de 30 anos de existência e cujos elementos têm estado diretamente envolvidos na organização destes encontros.

 O autarca incentivou a organização a realizar o sexto congresso, afirmando que esta é uma iniciativa a dar continuidade, pois “só através do passado é possível dar continuidade ao futuro” e “esta é uma História com Futuro”.

 A quinta edição do Congresso teve neste ano a maior participação de sempre de comunicantes e inscritos, tendo passado pelos auditórios da Casa das Artes cerca de 100 comunicações e quatro palestras nas quatro áreas temáticas do congresso.


 Ao nível da Memória Histórica: História da Família, Genealogia e Heráldica, contou com a intervenção do catedrático espanhol de História Medieval Rafael Sanchez Saus, com a intervenção "El concepto de solar en la nobleza medieval del sur de espafia"; na temática de Património: Estudos, Defesa e Valorização, com João Vieira Caldas, do IST da Universidade de Lisboa, através da intervenção "O papel do Conhecimento na defesa e valorização da Casa Nobre - novos contributos da Investigação face a velhos problemas"; na temática de Arquivos e Documentação Familiares, com o Diretor Criativo da Community Sites, Jack Latimer, através da palestra "Bringing History to Life: Community Archives in the UK and Ireland"; na temática do Turismo e Desenvolvimento Regional, com a intervenção do Diretor da Licenciatura em Turismo da UTAD, Xerardo Pereiro Perez, que abrodou a "Turiperegrinação no Caminho Português Interior de Santiago de Compostela".

 O programa contou ainda, entre outros, com a apresentação do novo volume do projeto das Casas Armoriadas do Concelho de Arcos de Valdevez, dedicado a Casal do Paço, bem como com a apresentação da versão digital e online das Atas do Congresso anterior, e ainda a atribuição do Prémio D. Fernando José Mascarenhas, vulto cultural e de inigualável importância na defesa do património e da História, falecido em 2014, atribuído no âmbito das comunicações apresentadas.

Ningún comentario: